O Xipalapala, criado para melhorar a comunicação entre os anunciantes e as rádios comunitárias, arrecadou nos últimos seis meses 100 mil dólares na intermediação de compra de espaços de antena e difusão de spots publicitários. O mecanismo criado em 2017, pela h2n, com o objectivo de facilitar a partilha de conteúdos de empresas que actuam nas áreas de saúde, educação e agricultura com as comunidades rurais é apontado pelos beneficiários como um dos factores que vai garantir a sustentabilidade das rádios comunitárias.

“Entre Maio e Junho, o Centro Multimídia e Comunitário (CMC) Nkomati facturou 22 000 meticais. Antes não passávamos dos 5000 de receitas com anúncios”, explicou Benedito Chavana, Coordenador da rádio. Já Alberto Mucaúque, Coordenador do CMC de Xinavane, mostrou-se satisfeito com o modelo de gestão do Xipalapala: “foi uma das melhores parcerias que tivemos até agora. Prestamos serviços e não temos de justificar a aplicação das nossas receitas”.

Actualmente, o mecanismo conta com 52 rádios comunitárias registadas a nível nacional e uma carteira de clientes predominada por agências publicitárias, instituições do estado, ONGs nacionais e internacionais.

Questionado sobre os ganhos deste mecanismo, Sérgio Chusane, Director-executivo da h2n considera que “os números registados, neste semestre, mostram que a evolução do Xipalapala é consistente, sendo cada vez mais um parceiro indispensável para a sustentabilidade financeira das rádios”. Refira-se que, em Maio, a plataforma foi distinguida na 6ª edição do Moztech com o primeiro lugar no business startup challenge, uma competição de novas ideias e iniciativas de negócio.

A h2n é uma ONG moçambicana focada na comunicação comunitária, geração de demanda, mobilização social, advocacia estratégica e engajamento online para mudanças sociais e de comportamento.

Veja o vídeo, a seguir, sobre Xipalapala: https://youtu.be/bgfwspWAVRQ

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *